Amigo Invisível

É chuva caindo, é campo em flor...

IMG-20160801-WA0001“Uma menina. Sentada no chão, brincando de ser.”

Eis como me chega. Estar desarmada e suscetível ajuda. É limpa a visão.

“Por perto, o amigo. Um meigo tuxaua, um curumim.

A solitude, a espera, o exercício lúdico de existir, observar e criar.

Meu amigo. Aos cinco chegava um companheiro de viagem, o primeiro irmão. Rechonchudo, dourado, tenro. Ah, o dividir espaços: o grande aprendizado aportando. Aquela dorzinha do espaço invadido, do afeto compartilhado, a lição do subtrair, ofertar, compartir.

Amigo tuxaua, não se vá. Contigo divido os folguedos, as conversas silenciosas, a visão do mundo que não queremos – e a muito custo devemos – deixar.

Esquecer, afogar a saudade, mergulhar no Novo Mundo sem medo.

Curumim, dê-me a tua mão, segure a minha com força. Está chegando o tempo de soltá-la…

Em nossa taba, no terreiro de terra limpa pelas nossas vassourinhas de arruda, em nosso chão batido “de…

Ver o post original 577 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s